jardim de luxembugo
Europa França Paris

Paris: Roteiro de 6 dias para a primeira viagem (e dicas para gastar menos)

Saímos do Brasil com todos os roteiros redondinhos, pra aproveitar tudo! Mas o bom da viagem, ainda mais das que você mesmo planeja, é estarmos abertos às boas surpresas e prontos pra adaptar o roteiro à elas. Nossa surpresa: show da Adele em Paris, que fez a gente (muito feliz) mudar tudo o que tínhamos planejado (no final do post conto mais sobre o show).

O roteiro que eu vou colocar aqui é o que tínhamos planejado, e não o que fizemos (que foi todo readaptado pela Adele, haha). Outra coisa que acabou influenciando nos nossos programas foi que a Eurocopa estava acontecendo, mas vou contando tudo mais embaixo. Assim como o de Londres, vou fazendo posts separados sobre cada passeio e atualizo esse com os links.

Esse também é um roteiro feito para o verão, quando a temperatura está agradável para andar na rua e anoitece perto das 23 horas (e isso é muiiito bom, apesar de a gente perder um pouco a noção do tempo). Assim como o esperado, tem dias que não dá para ir em tudo o que planejamos, então deixamos para encaixar em algum outro dia. Aqui vai o mesmo conselho que dei no post de Londres: leve um roteiro para ter um planejamento, mas não se prenda 100% à ele. Aproveite a cidade, conheça lugares novos não planejados e curta muito o passeio. 🙂

[Já coloquei no ar o post com os gastos em LondresParisBruxelasBarcelona e todos juntos.]

O roteiro

Chegamos em Paris em uma quinta-feira no final da tarde. Como estávamos cansadas, nessa primeira noite só andamos nas redondezas do nosso apartamento do Airbnb e jantamos ali perto.

Dia 1 – Sexta-feira

Jardim de Monet: Saímos cedo para visitar o Jardim e a casa de Monet, que ficam em Giverny, cerca de uma hora de Paris por trem (mais ônibus de Vernon a Giverny). O ingresso custou 9,50 (esse ano está 10,50). O post está no link.

Casa de Monet em Giverny
Casa de Monet em Giverny

Indo cedo, você estará de volta a Paris por volta das 2 da tarde. (Nós almoçamos e fomos nos arrumar pois era o dia de Adele. :D)

No roteiro original, após o Jardim iríamos para a Torre Eiffel, pois essas são as atrações que não estão inclusas no Museum Pass.

Como era quase verão, li que o melhor horário para subir a torre é às 20h, quando o sol está baixando e você pode ficar até escurecer, mas quando compramos tinha algumas restrições de segurança por causa da Eurocopa e não tinha nesse horário. Dá para ficar até mais tarde nessa região. Fomos até a praça do Trocadero, que tem uma das melhores vistas para a Torre. Também dá para passear pela Champs de Mars, uma das maiores áreas verdes de Paris que fica atrás da Torre. Estava fechada enquanto estávamos lá por segurança, também por causa da Eurocopa.

Dia 2 – Sábado

No roteiro original pegaríamos 4 dias de Museum Pass, então no sábado faríamos o seguinte:

Museu do Louvre: Como é gigantesco, a ideia era ir duas vezes, ficando um pouco em cada dia. Lembre-se que o Louvre é fechado nas terças

Louvre
Louvre

Jardim de Tuileries: Fica na saída do Louvre e é lindo. É lá que fica o Musée d l’Orangerie. Ele é o Jardim de um palácio que não existe mais. Esse palácio havia sido construído por Catherine de Medici em 1564 (alguém mais assiste Reign aí? Haha). 

Jardim de Tuileries
Jardim de Tuileries

Musée de l´OrangerieNesse museu que ficam alguns dos quadros das Nympheas de Monet. São 8 quadros divididos em duas salas ovais, que estão lá desde 1927. Só de altura eles tem quase dois metros. Para ver esses quadros já vale a visita, mas o museu também tem muitas obras de outros artistas famosos, como Jean Walter, Paul Guillaume, Renoir, Cézanne, Picasso, Matisse e Modigliani. Sem o Museum Pass, a entrada custa 9 Euros.

Os quadros gigantes do Monet, lindos!
Os quadros gigantes do Monet, lindos!

Em frente ao Museu d L’Orangerie fica a Place de la Concorde, a segunda maior praça da França e local de muitas execuções com guilhotina durante a Revolução Francesa (inclusive de Maria Antonieta).  Do outro lado da rua o Grand Palais, que só fica aberto quando tem exposições e o Petit Palais, que dizem ser lindo mas não deu tempo para entrarmos. Em frente, tem a ponte Alexandre III, considerada a mais bonita de Paris.

Place de la Concorde e o obeslisco que veio do Egito e tem mais de 3300 anos.
Place de la Concorde e o obeslisco que veio do Egito e tem mais de 3300 anos.

No final do dia dá para ir ao Arco do Triunfo e subir, pois lá também aceita o Museum Pass (e museu o dia todo cansa né!). Quase na frente tem uma Publicis Drugstore, que entre muitas coisas vende o macarron da Pierre Hermé, recomendo para experimentar, é delicioso. Custa 2,30 euros cada. E depois venha descendo a Champs Elysées, que tem várias lojas para olhar. Lá tem a maior loja da Sephora do mundo, o atendimento é excelente! Eu aproveitei e comprei umas lembrancinhas e ganhei amostrinhas, haha.

*Nesse dia fomos na Fan Zone da Europa atrás da Torre Eiffel, onde os jogos estavam sendo exibidos. Era gratuito e muito legal, com banheiros limpos, estande de comidas e bebidas e espaços de marcas como Coca e Huyndai. 

Na Fan Zone!
Na Fan Zone!

Dia 3 – Domingo

Fomos ao Jardim de Luxemburgo, que era quase ao lado de onde estávamos ficando. Ali pertinho tem também o Pantheon, onde estão os restos mortais de algumas personalidades francesas (como Voltaire, Rousseau e Victor Hugo) e dizem que é lindo por dentro. Não entramos, mas tomamos café da manhã ali perto e fomos para o Marais (lê-se Marré), que fica entre o 3° e 4° arrondissement. Para aproveitar o Museum Pass, vá ao Centre Pompidou, um museu de arte moderna. Tem várias obras de Picasso lá, inclusive uma exposição em homenagem à mulher dele. Esse museu também é todo diferente, legal conhecer. E lá de cima tem vista para a Torre e para a Sacre Coeur.

Almoçamos por lá, em um dos restaurantes que tem ao lado do Centre Pompidou, mas não era muito bom. Depois caminhamos pelo bairro, o Marais é movimentadíssimo aos domingos e ao contrário do resto da cidade, aqui as lojas ficam abertas. Dá para caminhar muito por lá. Fomos na Uniqlo, que achei linda, na tem até uma loja da Natura. Fomos até a Place des Vosges, que é super bonitinha também. Tem uma Amorino ao lado e é o melhor e mais bonitos sorvete que já tomei na vida. Virou parada obrigatória sempre que víamos um, haha.

place des vosges
Place des Voges

Aqui no Marais também tem outras paradas obrigatórias: Fauchon (também de Macarrons), Fleux (de decoração e presentes), Muji, Lomography e muitas outras lojas legais. Na Rue de Rivoli tem a BHV, uma loja de departamentos enorme.

Museu D’Orsay (fecha nas segundas): Esse museu é lindo e um dos mais famosos de Paris. Tem a maior coleção de obras impressionistas do mundo. Muito Monet (surra de Monet nessa viagem, haha), Picasso, Renoir, Degas e muitas esculturas.

museu dorsay
Musée d’Orsay

*Choveu muito nesse dia e interrompemos a programação no final da tarde. Voltei e fui lavar roupas, em uma laundry ao lado do apartamento, glamour zero, haha. Aliás, foi 4,50 euros para a máquina de lavar, mais 2 euros na máquina de secar (e mais uns 4 euros para sabão e amaciante). Chama-se Lavarie Libre Service, coloquei no Google e achei umas três na nossa vizinhança. 

Dia 4 – Segunda-feira

Nesse dia dormimos mais e saímos mais tarde de casa (porque anoitecendo depois das 23h, cansa demais acordar cedo no dia seguinte!).

Montmantre: Dia de conhecer o bairro fofo e cheio de ladeiras da Amélie Poulain e a Sacre Coeur. Tomamos café por lá e passamos a manhã dando voltas pelo bairro.

Vista de Montmatre da Sacre Coeur
Vista de Montmatre da Sacre Coeur

Galeries Lafayette: É uma loja de departamentos chique e enorme. Não é perto de Montmartre, mas fomos à pé, (sempre que achamos possível, vamos caminhando, melhor maneira de conhecer a cidade). Levamos cerca de 30 minutos. Tem de tudo em maquiagens, roupas, decoração e lembranças de Paris das mais diversas marcas. Mesmo que não vá comprar nada (como eu, haha) entre para conhecer, pois lá dentro é bem bonito. Suba até o último andar, tem um terraço com uma vista linda! 😀

Terraço da Gallerie Lafayette
Terraço da Galerie Lafayette

Opera Garnier: Uma das óperas mais antigas e bonitas de Paris. Nós não entramos por falta de tempo, mas a visita sem o guia custa 11 euros e não está incluso no Museum Pass. Pelas fotos parecer ser linda! Também é possível comprar ingressos para os espetáculos.

Notre Dame: Essa igreja é para obrigatória! A entrada normal é gratuita, mas para subir nas torres custa 10 euros e a fila é enorme. Museum Pass não tem corta fila aqui :(. Nós esperamos mais de uma hora para conseguir entrar. Eles fecham a fila por volta das 17h.

Dia 5 – Terça-feira

Versailles: Junto com sábado e domingo, esse é o dia mais cheio por lá. Se puder, adapte seu roteiro para ir entre quarta e sexta. Nós fomos na Disney na segunda e para Versailles na quarta, mas por causa da mudança de planos compramos o Museum Pass para dois dias (o plano inicial era Disney no dia do show) e a Disney é mais barata em dias de semana, ou seja, foi um quebra-cabeça adaptar esse roteiro, haha. Lembre-se que os dias do Museum Pass devem ser consecutivos.

versailles

Dia 6 – Quarta-feira

Disney! Fica cerca de uma hora de distância de Paris e um dia dá para ver quase tudo, principalmente no verão que o parque fecha mais tarde. Tem todos os detalhes no link!

disney paris

No dia seguinte, pegamos trem para Bruxelas, em Gare du Nord. Cogitamos pegar um uber por ser muito cedo (a estação é perto), mas decidimos arriscar ir de metrô mesmo. Pesquisamos que o metrô começava a passar por volta das 5h30, mas com intervalos de tempo maiores entre um e outro. Saímos com mais de uma hora de antecedência, com medo de o check in demorar como demorou em Londres, mas foi bem tranquilo e o portão bem fácil de achar. Passamos por um raio-x, achamos o vagão, erguemos a mala, entrei e só acordei na Bélgica. Mas isso é continuação para o próximo post. 😉

Show da Adele!

Se tem uma artista que eu queria ver muuuuito ao vivo era a Adele. Já sabíamos que ia ter esse show em Paris nos dias em que estaríamos lá (eram dois dias de show) mas que não tinham mais ingressos (esgotou logo que abriu para venda). Nos inscrevemos em vários grupos no Facebook atrás de ingressos, quase caímos em golpes (e tinham vários!), checávamos o viagogo todos os dias (tudo caríssimo e também com chance de golpes) e estávamos inscritas nas listas de espera oficiais.  Dois dias antes do show, (que por sorte estávamos em um museu com wifi em Londres) abriram dois ingressos na pior categoria, mas não pensamos duas vezes! Por 51 euros, iríamos nesse show!

Compramos com cartão, mas precisávamos retirar no local do show, então chegamos bem cedo, mas foi super rápido. O show foi na Accor Hotels Arena, é um lugar muito grande e com uma estrutura excelente, fazendo com que tanto a entrada como a saída fossem bem tranquilas e organizadas. Lá sempre tem shows internacionais, recomendo até que você dê uma olhadinha no site antes da sua viagem, vai que está acontecendo um show legal também?

adele

Nosso local no show não era muito bom (estava escrito no ingresso que era com visibilidade reduzida :/), era beeem pertinho dela, mas de costas (como dá para ver nas fotos). Mas o show é o melhor do mundo e iria mil vezes nesse local. Ela é a pessoa mais simpática e carismática que já vi ao vivo, e mesmo cantando para milhares de pessoas ela conversava como se estivesse em uma roda de amigos, é inexplicável.

Esse show foi no dia 10 de Junho, primeiro dia da Eurocopa com jogo da França. Ela agradeceu a presença de todos e disse que no meio do show podíamos ver o jogo. E não é que ela colocou no telão? Hahaha, foi muito legal!

show da adele em paris
Olha como a gente tava perto! Só que de costas :(

E na hora de ir embora, saímos sem nenhum tumulto, pegamos o metrô na frente do lugar. Estava cheio, mas nada mais que um horário de pico. Chegamos em casa em menos de 20 minutos, quase nem acreditei na facilidade!

O Viajapinha é parceiro do Booking, por isso, ao fazer a reserva da sua hospedagem por um de nossos links, você me ajuda a manter o blog, pois ganhamos uma pequena comissão, e você não paga a mais por isso:

booking

Você também pode gostar de

9 thoughts on “Paris: Roteiro de 6 dias para a primeira viagem (e dicas para gastar menos)

    1. Oi Fran, tudo bem? O apto que ficamos foi esse https://www.airbnb.com.br/rooms/594597 e ele é exatamente como nas fotos, simples, mas com tudo o que precisamos. A região é ótima, o que mais valeu a pena pelo preço que pagamos.
      Em abril eu não tenho certeza, mas imagino que ainda esteja friozinho. Eu fui no início de junho, quase verão, e usei umas jaquetinhas leves, início e final do dia esfriava um pouco mais, mas a média durante a tarde era uns 20 graus pra menos.
      Boa viagem, depois vem contar como foi. 😉 Eu mantenho o instagram atualizado @viajapinha, se puder segue a gente lá, abraços.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back To Top