Já contei nesse post sobre nosso primeiro dia em Barcelona. E nesse post sobre as informações práticas sobre a chegada na cidade.

No nosso segundo dia, acordamos cedo e voltamos ao bairro antigo, no Raval e bairro Gótico. O dia amanheceu chuvoso, por isso decidimos ir ao MACBA – Museu de Arte Contemporânea de Barcelona. Custou 10 euros e como era bem cedo, o Museu estava vazio ainda. É bem interessante para quem gosta de arte moderna, que não é meu estilo preferido. Tinha também uma exposição sobre a história do Punk.

MACBA
MACBA
Por dentro
Por dentro

Quando saímos do museu, o dia já estava bem aberto e o sol tinha aparecido. Caminhamos mais um pouco pelo bairro, que é muito bonito e dali pegamos o metrô e fomos até o Palau Nacional no bairro de Montjuic, onde fica o MNAC. Na estação de metrô que descemos, fica em frente ao shopping Arenas Barcelona. Esse shopping era uma arena para toureiros antigamente, por isso esse formato.

Arenas Barcelona
Arenas Barcelona

Como já era perto da hora do almoço, decidimos explorar o shopping e comer por lá. Dá para pegar o elevador panorâmico por 1 euro, que você ganha em desconto se comer nos restaurantes do terraço. Tem algumas boas opções, nós escolhemos o La Botiga. Tinha preço razoável (cerca de 15 euros o prato) e atendimento rápido, mas a comida não era grande coisa e também achei a porção pequena.

arenas restaurante barcelona
No terraço
almoco la botiga barcelona
O La Botiga, que escolhemos. O prato era só isso…

Depois do almoço fomos ao Palau Nacional. A entrada no MNAC (Museu Nacional de Arte Catalã) é gratuita nos sábados após às 15h (normalmente é 12 euros), então matamos um tempinho ali perto até dar o horário.

A Fundação Joan Miró fica no bairro, custa 12 euros, mas não fomos pois recentemente trouxeram uma exposição do Miró aqui para Florianópolis, com as obras que ficam expostas em Barcelona.

Atrás do Palácio Nacional tem um jardim botânico, mas só entrei no começo e não vimos o que tem lá para trás. Subindo umas escadas, fica o Parque Olímpico de Barcelona, que foi construído para os Jogos Olímpicos de 1992. Todo o bairro foi revitalizado para essa Olimpíada. No dia que visitamos achamos o parque vazio, mas com seguranças. Também tem uma vista bonita para a cidade.

parque_olimpico_barcelona

A torre de Montjuic, obra do Santiago Calatrava
A torre de Montjuic, obra do Santiago Calatrava

No estádio fica o Open Camp com tem atividades interativas e tecnológicas relacionadas ao esporte. Não consegui conferir no site quanto custa para entrar, mas lembro que era caro, haha.

Também nesse bairro que fica o Palau Saint Jordi, espaço para eventos e shows. Confira no site se não tem nenhum legal na época em que você estará lá. 😉

Não fomos no Castell de Montjuic por falta de tempo, que é uma fortaleza no ponto mais alto do parque. Dá para ir a pé ou pegar o teleférico, que passa no Parc de Montjuic ou Miramar. Custa 5 euros para entrar.

Em seguida descemos, entramos no MNAC, que tem principalmente obras de Gaudí.

mnac
Na chegada as fontes estavam desligadas, na hora de ir embora ligaram tudo! :)
Olha o teto do MNAC!
Olha o teto do MNAC!

Depois, descemos novamente e passamos no Pavilhão Barcelona, de Mies Van der Rohe, que foi construído para uma exposição mundial e depois reconstruído. Custa 5 euros, e é interessante para arquitetos e admiradores. Na frente fica a Caixa Fórum que é um Centro Cultural que reúne várias exposições artísticas.

No final do dia tem o show da Fonte Mágica de Montjuic. Queria muito ter visto, era recomendação de 100% das pessoas. Mas não acontece todos os dias e no final desse dia começou a chover muito e o metrô estava com a greve anunciada. Confira nesse link os dias e horários que tem o espetáculo, é gratuito.

Decidimos ir para Passeig de Gracia, que ainda não tínhamos ido e ficava perto do Hostel, caso precisássemos voltar a pé ou pegar um táxi. No dia seguinte não teve show. 🙁

Passeig de Gracia é uma Champs Elysées espanhola, com lojas de grife e restaurantes. Lá, passamos pela Casa Batló e a La Pedrera (Casa Mila), outras obras famosas de Gaudí. As entradas eram caras: 22,50 para a Casa Batló e 20,50 para a La Pedrera. Pelas fotos parece ser lindo por lá, mas como já tínhamos ido na Sagrada Família e íamos no Parque Guell, decidimos não entrar. 🙁

La Pedrera
La Pedrera (vê esse céu se dá pra dizer que pouco tempo atrás tava caindo o mundo!)
Casa Batló
Casa Batló – tinha uma fila enorme para entrar.

Na hora de ir embora, descobrimos um outlet da Mango pertinho do nosso Hostel. Tem que fuçar muito, mas vale a pena, já que de maneira geral, viajar para a Europa não é muito atrativa para compras. Comprei um blazer lindo por 18 euros e uma blusa bordada social por 9!

O endereço da que fomos é Carrer de Girona, 37, mas acabei de ver no Google que tem vários pela cidade.

mango outlet barcelona
É assim bem bagunçado mesmo, tenha paciência, haha

 Depois disso já era noite, pegamos um lanche na rua e voltamos para descansar no Hostel.

Para reservar sua hospedagem em Barcelona, clique aqui:

 booking

Follow my blog with Bloglovin

Você também pode gostar de

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *