magic kingdom cast member

Trabalhando na Disney – International Park Greeter (ou Super Greeter)

Já contei nesse post sobre o programa de intercâmbio que eu fiz na Disney enquanto eu estava na faculdade, o International College Program, carinhosamente conhecido apenas como ICP. Mas o programa é tão legal, que em 2014, já formada na faculdade, eu fui de novo. Deixei o emprego pra passar quase 3 meses de novo na terra do Mickey. E foi ainda mais legal! <3

[Confira nesse post o outro Work Experience que eu fiz, em South Lake Tahoe e que não tem nada a ver com a Disney]

Eu sou muito suspeita pra falar, porque todo mundo sabe o quanto eu amo a Disney, os parques, a cultura e se pudesse ficaria trabalhando lá pra sempre. Mas o International Park Greeter, conhecido também por Super Greeter é um programa diferente do primeiro. Nesse, não há aquele trabalho mais operacional do primeiro programa, a seleção é mais tranquila e somos poucos e bons lá, haha. Também é preciso já ter feito um programa da Disney antes pra poder aplicar nesse (por isso a seleção é mais rápida, já que eles em teoria já te conhecem). O programa também é em outra época do ano, dessa vez no verão americano, entre maio e agosto. Fiz o programa em 2014, mas pelo que vi, as coisas não mudaram muito de lá pra hoje.

vista way check in cast member
Chegando pro check in no Vista Way, aqui descobrimos onde vamos morar e recebemos as chaves.

O programa

A Disney busca excelência no atendimento em todos os pontos de contato com o convidado. Entre os meses de junho e agosto, eles recebem uma quantidade gigantesca de brasileiros, tanto famílias quanto grupos, e ainda que eles possam atender muito bem essas pessoas, a barreira da língua e da cultura não faz com que seja na excelência Disney. Para isso nós fomos lá. 🙂 Como Super Greeter, nosso trabalho lá é de representante cultural do Brasil. Nossa função principal era receber e ajudar os grupos e famílias latinas e também facilitar o trabalho dos outros cast members com tradução, já que os grupos costumam ser de muitas pessoas de uma vez. Assim, os super greeters tem vários momentos de atuação: Na entrada do parque, para ver quantos grupos chegam por dia (e itinerário dentro do parque, horário e local de almoço), nas filas, caixas. Assim as atrações podem ficar preparadas para receber essa quantidade de convidados, dando eficiência no atendimento e nas filas e não impactando na experiência de outros guests que também estão na mesma área.

Nos hotéis o trabalho é parecido, como conversar com os grupos para saber o roteiro deles e deixar todos preparados para atende-los com excelência e eficiência. Na parte do dia a dia vou contar um pouco mais sobre o nosso trabalho na prática. 🙂

A seleção

Essa parte é bem mais tranquila em relação ao ICP. Recebi um e-mail da Disney avisando que a seleção estava aberta (lá pelo mês de novembro), preenchi um cadastro de interesse e logo eles entraram em contato agendando uma entrevista por Skype. Fiz a entrevista (entre meados e final de dezembro), recebi a resposta perto do natal e com o prazo de 30 dias pra confirmar e pagar uma taxa (referente à primeira semana de condomínio, ou algo assim). Esse e-mail falando sobre o programa é enviado direto pela Disney para ex-participantes, sem intermediários (no ICP é por meio da STB).

O visto

Para esse programa precisa de um visto bem específico, o Q1, e foi o visto mais tranquilo de se tirar da vida. Esse visto é de representação cultural. Para isso, o empregador (no caso a Disney), emite uma petição com o nome de todos os participantes, com data início e fim do programa e manda para a casa de cada um. Só com essa petição em mãos conseguimos agendar a entrevista. Ela chegou menos de 30 dias antes do meu embarque (pensa no nervosismo), fiz a entrevista em menos de duas semanas antes do meu embarque, mas foi bem simples. Esse visto é mais caro que os outros (não lembro quanto, só lembro que era mais, rs). chegando lá, você se apresenta com a petição e nos mandaram em uma fila diferente. Encontrei outras pessoas indo pro mesmo programa e fomos todos chamados no mesmo guichê. Quase não teve perguntas, o entrevistador olhou a petição, perguntou se eu sabia o que ia fazer e o que era e pronto. Pagamos e saímos. Na semana seguinte meu passaporte chegou na minha casa! \o/

O preço

Assim como no ICP, esse programa não tem custo. Pagamos com antecedência umas taxas de condomínio, o visto, o seguro saúde (é obrigatório!) e a passagem aérea. Como programei desde fevereiro/março, não ficou pesado na véspera da viagem. Fui uns 5 dias antes pra dar uma voltinha em Miami, e no dia marcado pela Disney eu estava em Orlando para fazer o check in, que é super rápido e organizado.

Moradia e transporte

Assim como expliquei no post do ICP, nós moramos nos condomínios da Disney e andamos nos ônibus que entram e saem dos condomínios com bastante frequência. Só que enquanto no ICP caímos de para-quedas no condomínio e roommates do mundo todo, no Super Greeter você tem a opção de escolher tanto as pessoas que você quer dividir o apto e qual o condomínio. Eles deixam claro que não garantem que você será atendido. Eu conhecia pela internet algumas pessoas que iriam no mesmo programa e pedimos para dividir um apto no The Commons. Fomos atendidos de morar com as pessoas, mas fomos colocados no Vista Way, que eu não era fã, mas aprendi a amar nesse programa, haha. Morávamos em 6 em um apto de 3 quartos, 2 banheiros e duas geladeiras (uma estava provisoriamente, mas acabou ficando até o fim, haha). O aluguel era cerca de U$89 por semana, já descontado no paycheck.

Dessa vez era verão e muiito calor, aproveitei as piscinas dos condomínios, haha
Dessa vez era verão e muiito calor, aproveitei as piscinas dos condomínios, haha. Essa é uma das piscinas do Vista.

O dia a dia

Mesmo que um cast member já tenha trabalhado na Disney antes, sempre que volta a trabalhar para a Disney, é preciso fazer o Traditions de novo. Então assim que começam os trabalhos também do Super Greeter, seguido de uma semana de treinamento na work location.

traditions

traditions cast member

Assim como no ICP, ninguém escolhe onde quer trabalhar, chega lá já com o local decidido e não há possibilidade de trocar. Eu trabalhei em um resort, no mesmo que eu fiz o ICP. No começo não fiquei muito feliz, pois queria conhecer um lugar diferente, mas depois amei. Primeiro, com o calor insuportável que faz na Flórida no verão, no resort podíamos ficar a maior parte do tempo em áreas fechadas com ar condicionado, haha. Outro motivo, é que ao contrário dos parques em que você só vê as pessoas uma vez, o hotel permite que você vejas os guests todos os dias. Assim nós ficamos próximos (da pra dizer até amigos) de várias famílias e pessoas dos grupos, que vinham cumprimentar a gente todos os dias/noites e contar sobre o dia. Até uma festinha de aniversário no quarto pra uma família nós ajudamos a organizar. <3

No resort, nós nos apresentávamos aos grupos e pegávamos o roteiro deles. Assim, podíamos ajudar o resort a programar esse atendimento. Por exemplo, sabíamos os dias que os grupos tomariam café da manhã no hotel, então eles se preparavam tendo mais caixas trabalhando naquela manhã e mais cedo, mais comida e assim por diante. Assim como ter mais super greeters à disposição nesses momentos. Isso valia pros dias que iriam almoçar, jantar ou passar o dia todo por lá. Era época de copa do mundo, então ajudamos também na logística de quando eles queriam ficar vendo os jogos no hotel. Isso porque estamos falando de grupos de mais de 700 pessoas, então teve várias oportunidades de ajudarmos.

No restante do tempo, ficávamos circulando pelo resort ajudando no que pudéssemos, mas não podíamos fazer trabalhos no computador, de limpeza ou venda. O nosso visto tinha várias restrições nesse sentido. Nos dávamos super bem com outros cast members do hotel, então eles chamavam a gente quando queriam fazer surpresas ou programar algo legal pros guests. 🙂

Minhas roommies indo me visitar no trabalho. Notem a festa da pizza acontecendo ali atrás com um grupo do México.
Minhas roommies indo me visitar no trabalho. Notem a festa da pizza acontecendo ali atrás com um grupo do México.

Hora extra e horários

Por eu ter ficado em resort, peguei bastante horas extras em relação aos meus conhecidos que ficaram em parques, até porque éramos somente 7, enquanto nos parques eles eram em maior quantidade. No resort, às vezes algum grupo chegava/saía muito cedo, então pediam para a gente ficar,  ou quando tinham alguma festa no hotel. Sempre fazíamos pelo menos 40 horas semanais e algumas vezes mais. Nossos managers nos deram as opções de horários e pudemos escolher quem queria ficar com qual schedule, assim tivemos horário fixo até o final do programa, o que ajudava quando queríamos programar viagens e outros passeios.

Também podíamos pegar extras nos parques que não exigissem treinamento e que pudéssemos usar nosso uniforme (a pólo do Brasil). Então esses extras de Parade Audience Control era o que mais pegávamos e tinham vários era só ficar de olho no The Hub. Eu consegui alguns no Magic Kingdom, pra cuidar da multidão durante os desfiles, era muito tranquilo. 🙂

No dia a dia, eu acabei não guardando tanto dinheiro quanto queria porque eu comia muito fora, quase não parávamos em casa. Mas também não comprei muitas roupas e eletrônicos dessa vez. Comprei uma passagem para a Califórnia e fiquei lá e em Las Vegas por uns 15 dias depois do programa.  No dia seguinte que acabou o programa eu estava na Disneyland em Anaheim (quem é fã da Disney tem que ir). <3

Também dessa vez fui em vários restaurantes que eu queria na primeira vez e não fui, ficamos mais amigos dos nossos coworkers, saíamos mais juntos, vi um 4 de Julho. Ah, a parte nova do Harry Potter na Universal também inaugurou quando estávamos lá!

Outra coisa que aproveitei mais em relação ao ICP foi para fazer os cursos de desenvolvimento de carreira oferecidos pelo Housing. Eles aconteciam uma vez por semana (com várias opções de horário). Fiz de Networking, Currículo, Personal Branding… muito legais!

Backstage tour no Toy Story Mania que nossos managers nos levaram. Foi antes do parque abrir, amamos.
Backstage tour no Toy Story Mania que nossos managers nos levaram. Foi antes do parque abrir, não tinha ninguém, amamos.

Enfim, pra mim valeu muito a pena ir de novo pra Disney e não me decepcionei com nada. Foi diferente porque foi mais de 5 anos da vez anterior e eu era outra pessoa, com percepções e objetivos bem diferentes da primeira vez. 🙂 Se tem uma parte ruim, é que acaba e a gente tem que voltar para a realidade.

Na nossa graduation <3
Na nossa graduation <3

Lembrando que o Viajapinha é parceiro do Booking.com. Vai pra Orlando? Faça sua reserva de casa ou hotel pelo banner abaixo que o blog ganha uma pequena comissão e você não paga a mais por isso. 🙂

booking_viajapinha

Você também pode gostar de

Um comentário em “Trabalhando na Disney – International Park Greeter (ou Super Greeter)

Deixe uma resposta