bruxelas rua
Bélgica Bruxelas Europa

1 dia em Bruxelas – Roteiro para quem tem poucas horas na Bélgica

Estávamos em dúvida se um dia em Bruxelas daria para aproveitar a cidade. Mas depois de ler alguns blogs, vi que dava sim. Claro que se você quiser entrar em museus e atrações um dia é muito pouco, mas nessa passagem rápida dá para ter uma visão geral da cidade e conhecer os principais pontos.

A Bélgica entrou no nosso roteiro europeu quase que sem querer: iríamos de Paris para Barcelona de avião, mas as passagens não estavam muito baratas. Olhamos por curiosidade uma passagem de trem até Bruxelas (é bem pertinho, menos de duas horas de viagem) e de lá um avião. Somando esses dois deslocamentos, sairia quase o mesmo preço do que ir direto de Paris, só precisávamos sincronizar os horários. Outro desafio: como iríamos turistar com as malas, já que chegaríamos de trem e sairíamos de avião?

Como chegar em Bruxelas

Compramos a passagem direto pelo site da Thalys, e custou 29 euros. No site da Rail Europe estavam cobrando uma taxa, por isso sempre verifique também direto no site da companhia.

Saímos de Paris bem cedo, um trem às 6:50 da manhã que chegou em Bruxelas na estação Gare Midi (South Station) às 8h20.

Da Gare Midi fomos até a estação Central (Gare Centrale) para deixar as malas nos lockers. A Gare Centrale é bem pertinho da parte central de Bruxelas e da Grand Place e também pegaríamos o trem para o aeroporto de lá. Lá tem guarda volumes enormes, o compartimento maior, que coube nossas duas malas médias (cabe malas grandes também) e mochilas custou 5 euros por 24 horas, e tem que pagar em moedas, leve trocados. Os outros compartimentos um pouco menores eram 4 e 4,50 euros. (tem um post com todos os nossos gastos em Bruxelas, nesse link)

lockers
Os lockers, o espaço é bem grande.

Idioma

Na Bélgica se fala alemão, francês e holandês, mas é possível se virar com o inglês, especialmente nessa área mais turística. A sinalização está sempre nas quatro línguas.

placas_idioma belgica

Metrô

Compramos uma passagem para trocar de estações, que custou 2,10 euros e para ir ao Atomium paramos para explorar as opções na maquininha e decidimos comprar o passe ilimitado para 24 horas, que custou 7,50 euros. Acabou saindo quase que a mesma coisa do que se comprássemos bilhetes por viagem porque não andamos muito de metrô e não é válido para ir ao aeroporto, mas se você tiver intenção de andar mais, vale a pena sim.

As estações de metrô lá são bem bonitas!
As estações de metrô lá são bem bonitas!

Aqui em Bruxelas, assim como nas outras cidades, o que nos ajudou muito a saber qual metrô pegar foi o app CityMapper.

Nosso roteiro pela cidade

Saindo da estação, já estávamos quase em frente ao Jardim Mont des Arts que é lindo! Fica ao lado da Biblioteca Real da Bélgica (que não entramos). Andamos um pouco e chegamos ao Palácio Real (palácio oficial dos reis, mas não funciona como residência deles, apenas a parte administrativa).

Jardim Mont des Arts
Jardim Mont des Arts – olha essas cores!

O Palácio Real pode ser visitado gratuitamente entre final de julho e início de setembro, exceto nas segundas-feiras. Como fomos em Junho, não estava aberto à visitação :(. Mais detalhes sobre as visitas, nesse link.

Palácio Real
Palácio Real

Atravessamos o Parc de Bruxelas, que fica em frente ao Palácio Real e pegamos um metrô na estação Arts-Loi do lado esquerdo do parque em direção a Simonis, e trocamos na Simonis para a Heysel. É na Heysel que você desce, caminha um pouco e chega no lugar certo.

Fomos para o Atomium só para conhecer mesmo, pois se entrássemos ia apertar nossas poucas horas de Bélgica. Esse é um daqueles monumentos construídos para um evento e que acabou ficando permanentemente no local, nesse caso a Feira Mundial de Bruxelas de 1958. Tem 103 metros de altura e representa o cristal elementar do ferro ampliado 1650000 milhões de vezes (achei no Google, óbvio, haha). As esferas são ligadas por escadas rolantes, mas não dá pra ver nada disso por fora. Para entrar, o ingresso custa 12 euros para a exposição permanente.

atomium

Em frente ao Atomium fica o Mini Europe, um dos maiores parque de miniaturas do mundo, queria muito ter ido. Custa 15 euros e tem ingressos combinados com outras atrações, como o Atomium. Comentamos sobre esse parque aqui no blog nesse post.

Para voltar ao centro, fomos à estação de Heysel até a Brouckere. De lá fomos a pé até a Galeries Royale, uma galeria coberta bem famosa por lá e com várias lojas de chocolate e de lá para a Grand Place (fizemos esses caminhos a pé, mas pra saber que direção seguir, tínhamos baixado um mapa offline).

A Grand Place (Grote Mrkt) é considerada uma das praças mais bonitas do mundo e patrimônio da humanidade pela UNESCO. Quando você chega lá, concorda com tudo isso. Fiquei um tempão tirando fotos. Fica ali a Casa do Rei (que não é casa de nenhum rei), é na verdade o Museu da cidade. Nesse museu ficam as roupas da estátua mais famosa da Bélgica, e a própria estátua, o Manneken Pis. Para entrar custa 8 euros. Em frente fica a Prefeitura, construída nos anos de 1400 no estilo gótico. A visita guiada custa 5 euros. 

grand_place_brussels

Grand Place
Grand Place
Prefeitura de Bruxelas
Prefeitura de Bruxelas

De lá, fomos almoçar batata frita. É deliciosa e enche muito, uma porção foi 3 euros, mas não foi o que mais me surpreendeu lá, talvez eu não tenha escolhido o lugar certo. Estava no meu roteiro dois lugares, dicas de outros blogs (que eu não encontrei e estava com fome): Maison Antoine na 1, placê Jourdan e a Frit Flagey, um trailer na Place Eugène Flagey. Se alguém for nesses lugares, me conta se é bom mesmo.

Depois caminhamos em direção ao Manneken Pis, a estátua do menino fazendo xixi, cerca de 10 minutos a pé da Grand Place. Essa estátua é famosa e minúscula, não espere muito, haha. Também fiquei sabendo depois que essa na rua é uma réplica, a original está no Museu da Cidade, para que não seja danificada. Há muitas lendas sobre a origem e o significado dessa estátua de 1619, nenhuma muito concreta. Hoje, quando a Bélgica recebe um representante político de outro país, eles levam uma roupinha típica para ele. Já são mais de 800. Às vezes ele fica vestido (coloquem no Google para ver que bonitinho). 🙂

Manneken Pis

Comemos um Waffle em uma lojinha bem ao lado do Manneken Pis, era só uma portinha. E isso sim, superou as expectativas, é muito, muito bom. Com chocolate, morango e bananas custou 5 euros. Se esse de um lugar bem simples achei a massa incrível, fico imaginando os gourmetizados. Queria comer mais um, mas depois da batata, não aguentamos.

Fico com saudade só de olhar pra essa foto!
Fico com saudade só de olhar pra essa foto!

Do Manneken Pis, fomos atrás da versão feminina, da menina fazendo xixi Jeanekke Pis. Fica entre umas ruelas, em frente ao Delirium Café, a cervejaria mais famosa de Bruxelas, com mais de dois mil rótulos. Era cerca de 3 da tarde e a cervejaria estava quase vazia. Mesmo assim, experimentamos uma.

Na Delirium
Na Delirium
delirium rua
A rua da Delirium, é assim, bem escondidinha
jeanneke pis
Jeanneke Pis, pequena igual ao Manneken!

Ali nessa redondeza está cheia de restaurantes, os garçons ficam na porta de chamando para entrar, nos ofereceram até bebida de graça e tentavam falar português para te abordarem.

Na hora em que estávamos saindo, começou a chover. Voltamos para perto da Gare Central em busca de uma loja de chocolates que não fosse muito cara para levar pelo menos umas amostras do chocolate belga, que também faz muito jus à fama!

Na Place d’Espagne tem algumas lojinhas ao redor, inclusive a Chocópolis, que é maior, mas entramos e achei tudo caro, haha. Quase ao lado, tem uma loja pequena chamada Belgian Chocolate (ótimo nome), que tinha vários chocolates a um preço melhor, tipo 4 euros cada caixa. E também tinha trufas e chocolates para degustação. Nessa loja vendiam algumas marcas que eu não conhecia e a Cachet, que é deliciosa e vende em alguns supermercados aqui no Brasil (e aqui é caro).

Nessa mesma praça, que dá de fundos para a estação Central, tem um Novotel e um Ibis, caso alguém busque hospedagem por lá.

Indo para o aeroporto

De volta para a estação Central, pegamos nossas malas e procuramos o trem para voltar ao aeroporto, pois nosso voo era às 18h. O nome do aeroporto principal da cidade, que faz esses voos internacionais, é o Zaventem e fica 12 km distante do Centro (cerca de 20 minutos de viagem). A passagem de trem, foi 8,60 euros e é estranho porque fomos entrando e em nenhum momento cobraram nosso bilhete, até achei que estava fazendo algo errado. Comprei no guichê e já pedi a indicação da plataforma de onde pegar o trem. Na verdade, o trem já pára dentro do aeroporto e para sair da estação é que você precisa passar a passagem. O aeroporto tem muitos guardas armados, achei tenso. Mas também, fazia pouco mais de 3 meses que a Bélgica tinha sofrido um atentado dentro desse mesmo aeroporto. 🙁

O aeroporto, antes da área de embarque não é muito grande, mas depois que você entra tem muitas opções de lugares para comer.

Nesse post contei sobre como foi nossa viagem pela Ryanair, low cost européia.

Nossa próxima parada: Barcelona, que é assunto para os próximos posts!

Ps: (O post com TODOS os nossos gastos na Europa já estão no ar: LondresParis, Barcelona e o total)

Já fiz o post sobre todos esses gastos em Bruxelas, está nesse link.

Não cheguei a me hospedar na Bélgica, mas pelo que pesquisei, os valores giram em torno de R$ 300-R$ 500 a diária nos hotéis mais centrais.

O Viajapinha é parceiro do Booking, por isso, ao fazer a reserva da sua hospedagem por um de nossos links, você me ajuda a manter o blog, pois ganhamos uma pequena comissão, e você não paga a mais por isso:

booking

Você também pode gostar de

13 thoughts on “1 dia em Bruxelas – Roteiro para quem tem poucas horas na Bélgica

  1. Parabéns pela riqueza dos detalhes. Meu estilo de viagem e a forma de relatar é semelhante ao seu.
    Vou ficar 4 noites em Bruxelas, para conhecer Bruges, Ghent e Antuerpia em bate-volta.
    Sou apreciador de culinária local e de cervejas. Se tiver mais alguns dicas ficarei muito grato.

    1. Oi Guilherme, tudo bem? Obrigada pela visita aqui no blog e pelo comentário! 🙂
      Acho bem legal a sua ideia de ficar em Bruxelas mais tempo pra poder visitar essas cidades vizinhas, várias pessoas me recomendaram isso. Mas infelizmente só fiquei poucas horas em Bruxelas, por isso não tenho dicas das outras cidades. Se você ama culinária e cerveja, vai amar a Bélgica, com certeza :). A Delirium é imperdível para os apreciadores de cerveja e nos arredores tem vários restaurantes.
      Boa viagem e aproveite! Abraços, Thaís

  2. Olá!
    Estarei viajando para Paris no início de Setembro e pensei em dar uma passada de 1 dia em Bruxelas. Pretendo ir de trem ou ônibus de Paris a Bruxelas pela manhã cedo e retornar a noite.
    Quais os conselhos e dicas você me daria?
    Abraço!

    1. Oi Maicon, tudo bem?
      Acho que vale a pena sim, mas só se você tiver aproveitado bem Paris, que tem bastante coisas pra ver na região, como o Jardim de Monet, Palácio de Versailles e todas as demais atracões da cidade. 🙂
      Se for pra Bélgica e conseguir tirar um ou dois dias a mais, muitos me recomendaram ir até Bruges, que é pertinho e pelo que me contaram, é linda. Eu como fui por conexão só tive tempo pra Bruxelas mesmo.
      Aproveite pra comer muito, tudo lá é delicioso e a cidade cheia a comida boa, rs.
      Abraços e boa viagem!

  3. Olá!
    Amei as dicas!
    Preciso de sua ajuda. Estarei fazendo uma conexão em Bruxelas de Londres até Amsterdam.
    Ainda não comprei as passagens, mas gostaria de fazer o mesmo que você ficar algumas horas para explorar uma parte da cidade antes de me descolar até Amsterdam.
    Minhas dúvidas:
    – Tem locker para guardar as malas na gare du nord ou midi?
    – Caso não tenha e terei que deixar na centraal e pegar o trem de volta na nord como me descolo da midi para centraal, da centraal para a nord, ou midi para nord? hahaha
    E para ir do palácio real até a grand place ou mont des arts pego qual transporte dentro da cidade? O mais barato!

    Obrigada!

    1. Oi Luana, tudo bem?
      Pelo que eu olhei aqui, o trem de Londres chega na Midi (a mesma que eu cheguei) e sai para Amsterdam pela Central (onde eu deixei as malas) quando comprar confirma se não é isso mesmo. Então acho que você pode fazer como fizemos. Chegando na Midi, pedimos informação e nos explicaram que metrô pegar para ir para a estação Central, porque não achamos pelo aplicativo (e eu não anotei o nome, falha minha). Mas é uma linha direta, as que mostram no app tem troca de linha. Chegando lá, você sai da estação de metrô e o terminal de trem Central é uma quadra de distância (também pedimos informação na rua para saber a direção certa). Não sei te dizer se as outras duas estações tem locker, só procurados na Central mesmo porque de era onde iríamos partir para o aeroporto.
      O Palácio Real para o Mont dês Arts é perto, fizemos a pé, não deu nem 10 minutos. O Palácio Real fica em frente ao Parque de Bruxelas. Para a Grand Place também é perto (mais perto da Mont dês Arts, que fica no meio entre essas três atrações), uns 5 minutos a pé. Baixa um mapa offline para saber o caminho certinho lá na hora. A gente pegou um metrô porque antes de irmos na Grand Place fomos até o Atomium. O metrô lá é super fácil de usar, não tivemos problemas.
      Espero ter ajudado, como fiquei só um dia, só consegui entender essa parte mesmo, rs.
      Boa viagem e aproveita muito! 🙂

      1. Que ótimo que é tudo fácil!
        Então tu achas que posso fazer o Atomium e Parc du cinquantenaire nesse mesmo dia?
        Pretendemos chegar até as 11 da manhã em Bruxelas e pegar o trem pra ir para Amsterdam no começo da noite, por volta das 19:30.
        E conforme seus gastos em Bruxelas no outro post, percebi que tem duas vezes metrô e um é passe 24 horas. Não entendi o pq dos dois separados ushauhsuhshs
        Tu achas que vale a pena chegar na midi e já comprar esse passe 24 horas? Ele vale pra troca de metro da Midi para a Central?
        Vou te encher de perguntas pq tu fizeste o trajeto bem semelhante ao que eu quero fazer hehehehe

        1. Oi Luana, é tudo bem fácil sim.
          O Parc du Cinquantenaire nós não fomos por causa do pouco tempo. Não tenho certeza se dá pra vocês irem lá, no Atomium (que também é mais afastado) e na Grand Place, acho que pode ficar apertado. Pelo que eu vi, da Grand Place até o parque levar cerca de 40 minutos, com ida e volta, mais o tempo lá, talvez vocês tenham que escolher lá ou o Atomium. 🙁 Meu voo era às 18h, e pouco depois das 15h eu já comecei a me organizar pra pegar as malas e ir para o aeroporto, acho que o tempo na cidade é bem parecido com o nosso. A não ser que vocês usem táxi ou uber, aí pode ser que fique mais tranquilo. 🙂
          O passe de metrô eu comprei dois tipos porque na primeira vez comprei no guichê e o vendedor não me ofereceu, nem sabia que existia o de 24 horas, rs. Depois quando comprei pela maquininha que vi o de 24 horas, ele vale para todas as estações de metrô, então pra você ir da Midi pra Central vale, porque você vai pelo metrô. Só não vai valer pra ir pro aeroporto, porque é trem.
          Imagina, pode me perguntar que o que eu souber te ajudo! Eu sofri muitooo pra programar esse dia em Bruxelas porque tinha essas mesmas dúvidas, rs. Beijos

    1. Oi Vivi, tudo bem?
      Chegamos na estação central entre 8h30 e 9h da manhã e buscamos as malas por volta das 15h. Buscamos cedo porque começou a chover e ficou ruim de andar na rua, mas nosso voo era só às 18h. 🙂

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back To Top