Como chegar:

Chegar pelo Galeão é um pouco mais longe, mas os voos pra lá costumam ser mais baratos. De táxi até a Zona Sul dá aproximadamente R$ 60. Indico pegar um ônibus, saindo do aero você já encontra os ônibus da Real Auto Bus Premium, (é um azul) que levam pra diversos bairros da cidade. Pra Copacabana custou R$ 13 e ele pára onde pedir (desde que seja dentro do percurso).

Esse mesmo ônibus também passa pelo Aeroporto Santos Dumond, mas só vale a pena se você estiver sozinho, caso contrário, táxi é a melhor opção. Até a Zona Sul não dá mais que R$ 25.

Os ônibus de linha também são uma opção, mas só andei quando fui com minha amiga que mora lá. Como são muitos, fiquei bem perdida, tem um ponto do lado do outro e tem que ver que linha passa em cada ponto.

Achei os táxis no Rio baratos em comparação com os daqui de Florianópolis e os taxistas bem simpáticos, todos conversavam muito e davam dicas ótimas pra gente.

Onde ficar:

A primeira vez que fui pro Rio fui com algumas amigas e optamos por um hostel. Mesmo reservando com dois meses de antecedência não conseguimos o que nos haviam recomendado, o Bonita Ipanema, então ficamos em Copacabana (que não gostei muito, por isso não vou recomendar, haha). A hospedagem em Copacabana costuma ser um pouco mais barata do que em Ipanema ou Leblon, mas eu achei que vale a pena pagar um pouco a mais para esses outros bairros, achei mais bonitos e limpos do que em Copa.

Na segunda vez, fui pro Rock in Rio e a reserva foi feita com 6 meses de antecedência. Nesse período tudo inflacionou e os hostels estavam cobrando o mesmo preço de hotel. Acabamos ficando no Rio Lancaster, na orla de Copacabana. Pagamos R$ 630/diária de um quarto triplo (acreditem, os hostels estavam com valores parecidos). Só pela localização já valeu MUITO, na orla, uma quadra de distância do Copacabana Palace. O prédio e o quarto eram meio antigos, mas o café da manhã e o atendimento eram excelentes.

Vista do nosso café da manhã todos os dias! :)
Vista do nosso café da manhã todos os dias! :)

Onde comer:

Como minhas viagens costumam ser low-budget e sem horários de almoço e jantar, eu deixo um ou dois dias pra comer em um lugar bom. Então, fora as comidas no Shopping e fast food, os melhores lugares que almocei lá:

Lagoon Gourmet: Na Lagoa Rodrigo de Freitas, é um complexo com restaurantes, cinemas e espaço de eventos. O espaço dos restaurantes é super agradável, tem uma área aberta de frente pra Lagoa. Os restaurantes ficam meio que todos juntos, todos em um cardápio só e os garçons levam e trazem a comida do restaurante que você escolher no cardápio. Eu comi um raviolli de moranga ao molho quatro queijos com broto de feijão e carne seca, delicioso! A conta com bebida e serviço deu R$50 (mas já faz uns 2 anos).

Lagoon Gourmet (essa foto não é minha, peguei do site).
Lagoon Gourmet (essa foto não é minha, peguei do site).

Rota 66: Em Ipanema, lembra muito aqueles restaurantes americanos. Os pratos são uma delícia, por menos de R$ 30 a gente escolhe uma carne e dois acompanhamentos, é super bem servido e o atendimento é muito bom também. No final deram até um copinho de sorvete de cortesia pra gente! Recomendo muito!

– Portella: Em Santa Teresa, é um restaurante de comida nordestina, todo ambientado, bem bonitinho. Eu esqueci o nome do que comemos (ajuda aí Manu e Pri), mas era aipim (mandioca ou macaxeira) frito, arroz e um feijão meio farofa, super gostoso. Outro lugar com atendimento 10!

Baladinhas:

– Rio Scenarium: Parada obrigatória pra todo turista! Fica na Lapa e são uns 4 andares de festa, tem banda de forró e samba e até um espaço de eletrônico, pra agradar todo mundo. Lugar ótimo pra quem curte dançar, sempre tem alguém pra te tirar pra um sambinha. O lugar é todo de madeira, decorado parecendo um casarão do século passado, super lindo! Paguei R$ 35 pra entrar.

– Lapa 40 graus: Também na Lapa (aliás, a Lapa toda é cheia de barzinhos e baladinhas, não tem erro) e também com 4 andares, com banda ao vivo, mesas de sinuca (R$ 2,50 cada rodada). Lugar excelente pra sair pra dançar e ouvir muita música brasileira. Quando eu fui teve show da Ju Morais do The Voice. Paguei R$ 25.

Miroir: Pra quem curte um eletrônico, esse é o lugar na Zona Sul. Não é muito grande, mas o lugar é todo chique, cheio de gente bonita e música boa. No site tem a programação. A entrada não é muito barata, quando eu fui o ingresso feminino era R$ 60 e o masculino mais de R$100, sem consumação.

– Baladinhas na Barra: Não consegui ir por falta de dias, haha. Estavam nos planos ir para a Nuth, nos recomendaram muito! Também ouvimos falar muito da Luxury 021. Mas como eu tava na Zona Sul e ir pra Barra é longe, acabamos ficando com as mais perto. Conversamos com alguns taxistas e eles falaram que por R$ 45 levariam a gente pra lá (saindo de Copacabana).

Compras:

A última coisa que se pensa no Rio é em fazer compras, até porque não é o lugar mais barato pra isso. Mas como tem dias que passear cansa, nada como dar uma voltinha light no Shopping. Na Zona Sul, fui no Shopping Leblon e no Rio Sul, mas o paraíso pra Shoppings é na Barra, tem um do lado do outro, Village Mall, Fashion Mall, Barra Design. Como lá é mais longe e dizem que tem muito trânsito, acabei só passando por lá pra ir pro Rock in Rio mesmo.

Pra quem gosta de feirinhas, nos domingos tem uma na praça de Ipanema, é bem grande e tem vários souvenirs, brincos, bolsas e roupas.

Se eu for lembrando de mais coisas atualizo o post. 🙂

 

Você também pode gostar de

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *